Quando nasceu Jesus?

calendario romano em pedra

O calen­dá­rio juli­ano tinha como refe­rên­cia a data mítica da fun­da­ção de Roma (Ab Urbe Con­dita, 753 AEC). No entanto, o calen­dá­rio juli­ano não dava muita impor­tân­cia à nume­ra­ção dos anos — dava mais ênfase de como cada ano era estru­tu­rado em ter­mos de dias e meses. Durante sécu­los os anos foram quase sem­pre refe­ri­dos em rela­ção ao ano de regên­cia do impe­ra­dor em exer­cí­cio (ex. 15º ano de Tibé­rio) ou qual­quer evento notá­vel (uma guerra impor­tante ou as olim­pía­das, p.ex).

No fim do ano 1037 Ab Urbe Con­dita (1037 AUC ou 284 EC), Dio­cle­ci­ano tomou o poder no Impé­rio, ficando o ano seguinte como o 1º Anno Dio­cle­ti­ani (AD). Esta con­ta­gem de anos foi uti­li­zada durante mais de 240 anos.

Dio­cle­ci­ano foi um forte per­se­gui­dor de cris­tãos mas, nas épocas pos­te­ri­o­res, os cris­tãos tornaram-se uma força impor­tante no Impé­rio, obri­gando o impe­ra­dor Cons­tan­tino a tolerá-los e ofi­ci­a­li­zar, a par­tir do Con­cí­lio de Niceia (ano 41 de Dio­cle­ci­ano, 325 EC), a Igreja Católica.

Por volta do ano 241 de Dio­cle­ci­ano (525 EC) o Papa João I pediu a um monge cha­mado Dio­ní­sio Exí­guo para fazer o cál­culo dos dias de Pás­coa para os anos seguin­tes. Como o dia de Pás­coa vari­ava de ano para ano, por­que tinha de ser pró­ximo da lua-cheia, de vez em quando era neces­sá­rio cal­cu­lar a data em que a Pás­coa ocor­re­ria nos anos seguin­tes para se poder pre­pa­rar con­ve­ni­en­te­mente as celebrações.

Para além de cal­cu­lar as data pedi­das, Dio­ní­sio defi­niu retro­ac­ti­va­mente que Jesus teria nas­cido em 25 de Dezem­bro do ano 753 AUC. Segundo os seus cál­cu­los, o dia 1 de Janeiro de 754 AUC teria sido, por­tanto, o pri­meiro dia do pri­meiro Anno Domini (Ano do Senhor, AD, apro­vei­tando a sigla usada na con­ta­gem de Diocleciano).

Lucas 3:1–23 No décimo quinto ano do rei­nado de Tibé­rio César, sendo Pôn­cio Pila­tos gover­na­dor da Judeia, Hero­des tetrarca da Gali­léia, seu irmão Filipe tetrarca da região da Itu­réia e de Tra­co­ni­tes, e Lisâ­nias tetrarca de Abi­lene, sendo Anás e Cai­fás sumos sacer­do­tes, veio a pala­vra de Deus a João, filho de Zaca­rias, no deserto. E ele per­cor­reu toda a cir­cun­vi­zi­nhança do Jor­dão, pre­gando o batismo de arre­pen­di­mento para remis­são de peca­dos; …
Quando todo o povo fora bati­zado, tendo sido Jesus tam­bém bati­zado, … Ora, Jesus, ao come­çar o seu minis­té­rio, tinha cerca de trinta anos; …

Dio­ní­sio pro­va­vel­mente baseou os seus cál­cu­los no texto de Lucas 3:1–23 pois parece ter igno­rado todas as outras refe­rên­cias dos evan­ge­lhos e refe­rên­cias his­tó­ri­cas, nome­a­da­mente a morte de Hero­des e o censo de Quirinius.

NOTA: aqui faço uso das abre­vi­a­tu­ras AEC/EC (Antes da Era Comum/Era Comum) em vez de a.C./d.C (antes de Cristo/depois de Cristo).

tabela eventos

 

http://quem-escreveu-torto.blogspot.pt/2012/10/calendario-contagem-dos-anos.html

 

 

Sobre Paulo Ramos

Português, 43 anos, casado, pai de uma filha, informático de profissão, paixão por História da Antiguidade e céptico convicto. Pensa o ateísmo como uma consequência óbvia do cepticismo e do pensamento crítico. Publica ensaios em torno dos textos da Bíblia no site: "Quem escreveu torto por linhas direitas?".

5 pensamentos em “Quando nasceu Jesus?

  1. João Tereso
    28 de Dezembro de 2012 às 14:26

    Fico con­tente que tenham tomado a inci­a­tiva de criar este site. Vou acom­pa­nhar, sem dúvida. Gos­tei muito deste post, creio que dá uma boa ideia desta pro­ble­má­tica acerca da qual nunca fiz gran­des pes­qui­sas, embora tenha for­ma­ção em História/Arqueologia.

    Só um breve comen­tá­rio, acerca de um por­me­nor. No âmbito da minha inves­ti­ga­ção cien­tí­fica (que é o meu tra­ba­lho) tenho de lidar com o tempo — com datas. Tenho de colo­car even­tos num calen­dá­rio de vários milha­res de anos. No entanto, ape­sar de ser ateu con­victo e sem qual­quer dúvida acerca disso, uso de livre von­tade (embora algu­mas revis­tas façam disto impo­si­ção) a refe­rên­cia tem­po­ral a.C. e d.C. (usu­al­mente na ver­são inglesa BC/AD). Uso tam­bém fre­quen­te­mente datas em BP (Before Pre­sent, sendo o pre­sente o ano de 1950), uma con­ven­ção para fins téc­ni­cos na minha área científica.

    Na ver­dade, não vejo qual­quer con­tra­di­ção ide­o­ló­gica entre usar a.C. e d.C. e o facto de ser ateu. Tal­vez por­que me estou a marim­bar para se os outros con­si­de­ram isso uma con­tra­di­ção de minha parte. Tal­vez por con­si­de­rar igual­mente con­tra­di­tó­rio (se não até mais do que usar a.C.) o uso de uma refe­rên­cia a uma Era Comum que usa o nas­ci­mento de Cristo como refe­rên­cia tem­po­ral. No fundo, acho que a.C. ou a.n.e (antes da nossa era) ou a.e.c. (antes da era comum) é tudo a mesma coisa mas com pala­vras dife­ren­tes. Para mim, a.C. e d.C. refere-se uni­ca­mente ao nas­ci­mento de alguém que para mim não foi o filho de nenhum deus. Usar Era Comum é refe­rir que o nas­ci­mento dessa pes­soa repre­senta o iní­cio de uma nova Era. Comum porquê? Comum a quem?

    Num blo­gue que man­ti­nha com uns ami­gos e que está quase morto tive­mos já uma pequena dis­cus­são sobre o assunto. Podem ver aqui:

    http://arqueociencias.blogspot.pt/2011/04/antes-de-cristo-ou-antes-na-nossa-era.html#comment-form

  2. Helder Sanches
    28 de Dezembro de 2012 às 14:51

    Olá João Tereso,

    Para­béns por teres sido o pri­meiro a comen­tar no ateu.pt. Só por causa disso, já ganhaste… a sim­pa­tia de todos nós. ;-)

    Con­cordo com o teu comen­tá­rio. O facto de ser­mos ateus não deve sig­ni­fi­car sub­trair­mos da nossa orga­ni­za­ção social (e téc­nica, neste caso) as influên­cias his­tó­ri­cas que estão impreg­na­das no tecido da nossa civi­li­za­ção quando essas mes­mas influên­cias não pre­ju­di­cam em nada o fun­ci­o­na­mento e a desen­vol­vi­mento civi­li­za­ci­o­nal. Claro que tam­bém é válido que arran­jar outra sigla não pre­ju­di­ca­ria, daí con­cor­dar con­tigo que o mais impor­tante é saber­mos ao que é que nos esta­mos a refe­rir do que pro­pri­a­mente a forma como o fazemos.

    Não conhe­cia o BP, nem fazia a mínima ideia de que 1950 era um marco, por assim dizer. Achei inte­res­sante mas fiquei curi­oso em saber porquê 1950.

  3. 28 de Dezembro de 2012 às 20:13

    Con­cordo com o argu­mento do João Tereso e agradeço-lhe o comen­tá­rio e o link para a inte­res­sante dis­cus­são sobre este assunto.

    No entanto fica­ria muito estra­nho cons­truir fra­ses do tipo “Segundo o evan­ge­lho de Mateus, Jesus nas­ceu, o mais tar­dar, em 4 antes de Cristo”.

    Por outro lado, em mui­tos paí­ses utiliza-se um calen­dá­rio que diz que esta­mos a viver o ano 2012, a cami­nhar para 2013. Nesse sen­tido é um calen­dá­rio Comum.

    Diria, para con­cluir, que expres­são cor­reta deve­ria ser AESDE/ESDE (Antes da Era Segundo Dio­ni­sio Exi­guo / Era Segundo Dio­ni­sio Exiguo).

  4. João Tereso
    28 de Dezembro de 2012 às 21:10

    AESDE/ESDE é uma boa expressão!

    O ano de 1950 e a expres­são BP são usa­dos uni­ca­mente para refe­rir datas de radi­o­car­bono:
    cal. BP são datas do nosso calen­dá­rio, mas a con­tar a par­tir de 1950
    BP (sem cal.) são datas de radi­o­car­bono e cor­res­ponde a anos do nosso calen­dá­rio (isto por­que ao longo do tempo houve vari­a­ções nos níveis de car­bono 14 exis­tente na atmosfera).

    1950 refere-se ao ano (ou pró­ximo do ano) em que a téc­nica da data­ção por radi­o­car­bono foi inven­tada, daí con­ven­ci­o­nal­mente ser usada essa data.

  5. Lisandro Hubris
    23 de Fevereiro de 2013 às 6:58

    Ami­gos ateís­tas
    Eu publi­quei 10 PDFs ateís­tas no RECANTO DAS LETRAS, que des­mas­ca­ram as prin­ci­pais mito­lo­gias bíbli­cas, e TODOS eles podem ser bai­xa­dos de graça, ou até mesmo comer­ci­a­li­za­dos, des que o nome do autor (Lisan­dro Hubris), seja citado…
    http://www.recantodasletras.com.br/autor_textos.php?id=31436&categoria=M
    Sendo que de 15 em 15 dias algum dos meus PDFs será melho­rado, e isso acon­te­cerá por todo o tempo de vida que ainda me resta…
    Por favor, ajude divul­gar os meus E-livros.
    Abra­ços com gratidão!

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *